Angústias sobre a greve.

  Estamos com os seguintes acontecimentos globais, que nos afetam e somos afetados por eles, vou falar – alguns – com as palavras de especialistas divulgados na última Caros Amigos:

a. Economista Leda Paulani, professora da USP, analisa a crise do capitalismo financeiro e como – apesar da privatizações que ocorreram no Brasil – o atual governo conseguiu colocar 100 milhões de pessoas dentro de um quadro de 50% de aumento real de renda, o que significa segundo a economista da USP, 50 milhões de pessoas diretamente contempladas.

             Este grupo aumentou o consumo, porém, quando a crise  chegar aqui ainda teremos problemas.  Segundo Paulani, não existe muita saída porque o capitalismo financeiro, a cada episódio de crise, queima um pedaço da própria riqueza.   Esta própria queima não acontece na proporção necessária para reduzir o compasso da crise econômica. A crise virá, isso é fato, se virá com menor ou maior grau, dependerá dos governos, especialmente do chinês, único país que não apresenta risco de entrar em crise, segundo a economista.

        b. Temos também os grandes grupos econômicos interessados em gerar crise nos países com a esquerda no poder, para isso basta gerar demissões em épocas eleitorais.     

        c. Segundo análise do sociólogo paraguaio Marco Castilho o julgamento de Fernando Lugo foi ilegítimo porque foi feito por um grupo de oposição, toda direita do Congresso, que é maioria do parlamento. (..) “Essa direita tentou destituir Lugo em 23 oportunidades desde que ele assumiu”. No campo do Paraguai existia há tempos uma disputa entre as sojas transgênicas, grandes produtores e o pequeno produtor. A tragédia recente no campo foi usada pelos conservadores como pretexto. Castilho ainda explica que: “ (…) os setores de carne e soja requerem muita terra, e é justamente esta terra que está em disputa pelos camponeses. (…) também inclui as empresas que importam sementes, agrotóxicos e todas as ferramentas e máquinas para processo de produção. (…) Vale lembrar que entre tais empresas estão Cargill, Sygenta, Monsanto e Bayer.” O sociólogo ainda explica que é importante entendermos isso porque estas empresas formam uma organização (…) “e essa foi a primeira organização a pedir julgamento político”. E o sociólogo termina sua análise dizendo que temos entre os apoiadores do golpe muitos brasileiros  “que se apropriaram de terras durante a ditadura agora são contra qualquer tipo de reforma, o que tem dificultado permanentemente o avanço por justiça social.    

       d. O sociólogo brasileiro Gilberto Vasconcellos analisa o PSDB e diz que para este partido pátria é um negócio para ser vendido, e, agora não sabe o que de pior poderão fazer porque parece difícil seguir o modelo neoliberal que deu errado em todos os países do mundo, aumentando pobreza e desemprego, inclusive nos EUA, com estouro da bolha financeira e da recessão.

         e.      O partido analisado pelo sociólogo acabou de receber de presente um livro chamado “ A Privataria Tucana”, feito por um jornalista investigativo e que prova – com documentos que sequer estavam em segredo de justiça – a roubalheira tucana durante o período FHC, nas privatizações das nossas estatais. A mídia que trabalha até hoje para esta elite podre – que rouba o Brasil há anos – trabalha no sentido de fazer de conta que este livro sequer foi publicado, mas sabem que uma hora isso estourará.

        f.    Este partido acabou de ser acusado como Partido Sócio De Bicheiro, no escândalo Cachoeira, assim como seu principal instrumento de poder, a Veja. Esta foi denunciada por “provocar” denúncias sem provas contra a esquerda, como parte do jogo maquiavélico do poder. É tudo tão podre e maquiavélico que um agente federal que trabalhou nesta investigação acabou de ser morto.

 g.   As elites brasileiras – os grupos econômicos, os países ricos que representam estes grupos – não querem divulgar, querem difamar e tirar as esperanças, mas o que houve no Rio+20, tanto no Riocentro, como na Cúpula dos Povos, foi um consenso de que este modelo capitalista não cabe mais. Estava lá e ouvi com meus próprios ouvidos o Maurice Strong, ex-secretário geral da ONU, falando que se continuarmos com este modelo de capitalismo  logo não teremos mais planeta e que é impossível falarmos em sustentabilidade com guerras, fome, injustiça social, sem investimento em educação, etc.  Ele, junto com Suplicy, fechou que precisamos distribuir as rendas dos governos e aprovou para a agenda 21 ( primeiros tópicos) que os governos mundiais adotem a renda mínima.

          O que temos no quadro das letras acima? Que as elites devem ter tremido, os grupos econômicos se desesperado, o PSDB ficado com medo de não conseguirem mais tanto lucro.

         Bom, neste cenário geral temos um governo democrático,  que faz muito, mas que  poucos sabem, por exemplo: poucos sabem que foi investido em materiais maravilhosos para os NAPNES dos Institutos Federais, como impressoras 3d para trabalharmos com deficientes visuais, livros, etc.

       Temos um governo que se esforçará para cumprir a agenda 21 e esta agenda vai contra o que querem os grupos econômicos, acostumados a mamarem em nossa máquina governamental até o período FHC. Alguns grupos em outros lugares já se desesperaram e correram para retirar governos, como ocorreu no Paraguai.

       A verdade é que temos, neste momento, um governo que realmente está se movendo para fazer uma Reforma Política, como queremos há tanto tempo, para que a história não fique se repetindo.

        Um bom jeito da direita – elite podre – conseguir reverter o quadro acima, que está péssimo para ela, seria ganhar as prefeituras, e, antes disso, ajudar a causar uma crise que ainda não estava de fato aqui.  Usando para isso o instrumento que sempre usou, escondendo tudo de positivo que o governo faz, dizendo que “todos os políticos são iguais”, mandando embora milhares de operários (GM) mesmo que ainda não exista esta necessidade real, pois houve diminuição de juros e IPI, mas assim teremos desemprego e insatisfação. Incitando para greve mesmo que houvesse outros caminhos, greve que pode acarretar, inclusive, num problema econômico, já que alguns setores trabalham com entrada e saída dos produtos do país.  Matando agentes federais e outras sujeiras, mas isso já é rotina para a elite podre, no Brasil.

     

         No quadro acima teremos o que ganharemos (professores), com a proposta governamental, que não afetará creches e outros setores, também essenciais da Educação. Estou no último quadro, professora de ensino básico, técnico e tecnológico, o IF e não estou descontente. Acho que devemos discutir a progressão sim, mas isso se fez pelo legislativo, então, é por lá que devemos pressionar, afinal, segui a história desta mudança na carreira dos docentes e ela partiu de lá (é só pesquisar no portal da Câmara dos deputados). Por lá que devemos começar a pressão, mesmo que ela continue, em  paralelo, no executivo também.

      Pressão e diálogos são coisas diferentes de ser massa de manobra desta elite descontente e desesperada. A elite deve estar com medo que usemos nossa força de movimentos sociais e populares para lutarmos por Reforma Política e Tributária.  Por isso, não entrei nesta greve, porque acho que nossa força deve vir no sentido de uma Reforma Política e Tributária, o governo já começou a revisão dos principais pontos, devemos opinar e ajudar a construir outros, que garantam uma democracia de fato e que faça querer entrar na política apenas os idealistas reais.

Camila Tenório Cunha

Pessoas, completo este artigo, com outros que li BEM depois que escrevi este e que valem a pena: http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20588

http://tudosobreomensalao.com.br/?p=258

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Angústias sobre a greve.

  1. Lucia

    O que posso dizer: Clap, Clap. Você sim tem consciencia, não se deixando levar por manobras.

  2. Pingback: Porque não entrei nesta greve: | Midiacrucis's Blog

    • profacamilatc

      Olá, não sei o seu nome, “midiacrucis” mas como depois reeditei o meu post, até porque, depois que todos entraram onde trabalho, mesmo eu tendo votado contra a greve (porque achei que fomos massa da direita, junto com a palhaça do STF), não pude furar greve, não é certo, então gostaria que vc retirasse meu posto do seu blog ou o colocasse reeditado. Isso porque reeditei. Não sou psdb e vi que alguém comentou como se eu fosse, sou petista, mas nas assembleias onde trabalho vi o povo do pdsb falando que a Dilma era ditadora com excitação! Serviu sim, para a direita fazer a festa. Poderíamos ter tentando mais o que tentamos por último: negociar e chamar os políticos que lutam pela causa educacional para nos apoiar. No fim, foi isso que houve. Assim não serviríamos à direita e não prejudicaríamos alunos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s