Solidão social e preconceito:

       Não costumo assistir novela nenhuma com exceção de novela espírita. Hoje estava passando pela TV, quando minha mãe comentou sobre uma novela de época: “Esta aí colocou chifre no marido para que o marido subisse de posição social”.

        Eu, que sou uma romântica incorrigível, fiquei chocada. Sai da sala pensando em vir escrever e colocar este choque para fora, que ganharia mais do que ali.

       Então, são estes os valores que os não românticos possuem da vida representados pelo personagem que me chocou? Ou estes valores seriam das pessoas que valorizam posições sociais, mais do que o próprio ser humano? Ou as duas coisas juntas? São valores de pessoas que amam ao dinheiro, às posições sociais, ao fútil e supérfluo da vida, mais do que à construção de qualquer relacionamento com respeito, carinho, dignidade? Aliás, estas pessoas saberão o que significam estas palavras: dignidade e respeito?

        Pensei também naquele vídeo de uma aula com a Marilena Chauí que compartilhei no texto anterior, enviado pelo colega Carlo Roberto, professor de geografia. Naquele vídeo ela começa contando como funcionam as cabeças da classe média e burguesa, para isso ela narrou a experiência com  um casal que parou ocupando três vagas com seu carrão. Depois ainda se acharam no direito de gritar com quem questionou, e, pior, bater no rosto! O novo rico da classe média morre de medo de ficar pobre, fica indignado com a filha da empregada na faculdade com PROUNI, com a empregada no aeroporto, pois para esta classe tudo é aparência, e, a preocupação humana, social e coletiva, não existe. Ela – classe média –  pensa como o rico, sem ser rica, sem ser dona dos meios de produção, compra toda idéia de vida (ideologia dominante)  dos donos de produção, inclusive, o “medo” do pobre.

        Se educarmos para que as pessoas valorizem algo além das aparências, os valores reais de amizade, sinceridade, solidariedade, será que educaremos para um mundo onde as aparências não sejam tão importantes? Não falo do conforto, todos merecem uma casa confortável, sem goteiras, sem enchentes, com móveis, um carro que ande… Não precisamos de um “carrão”, para que um “carrão” se a função do veículo é transportar? Marilena se refere a carrão porque, como eu, ela também não entende muito de carros.

      Também fiquei pensando se este tipo de valor é o que predomina e que por isso teria poucas amigas casadas, afinal, elas devem temer que eu “roube” o marido delas. Todo preconceito nasce assim. Algumas amigas me conhecem muito e mesmo casadas continuam minhas amigas, outras – que poderiam ser amigas – se afastam antes de me conhecerem e serem amigas, provavelmente por medo porque sou solteira. Lógico que tenho amigas casadas, mas são inteligentes, seguras, e, sobretudo, compartilham os mesmos valores de vida que eu: amizade, solidariedade, respeito, etc. Estes valores, compartilhados, não permitem que as pessoas tenham preconceitos porque qualquer pessoa vale mais do que a casca, a aparência, a cor de pele, a religião (ou a não-religião), ser solteira, ser petista, etc…

     Acredito numa transformação social, política e econômica, sempre acreditarei, mas ela nunca virá sem uma transformação de valores, isso passa pelas mãos de educadores que se acreditam, que se percebem numa práxis constante, por isso devem ser abertos, livres de preconceitos, críticos para entenderem a fundo as mazelas ideológicas da elite, sem reproduzi-las ainda mais.

Camila Tenório Cunha, 21/09/2012, um início chuvoso de primavera.

O vídeo acima é do tempo da ditadura. Não desta ditadura que vivemos de meios de comunicação (PIG)  e STF, mas da ditadura militar. Só que toda ditadura é ruim porque cala sonhos, vozes e cantos. Toda ditadura faz as pessoas sentirem ódio e serem preconceituosas. Faz as pessoas odiarem sem conhecer e se recusar a conhecer. Teve um tempo que as pessoas realmente acreditavam que comunistas comiam criancinhas!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s