IFSP: Atvs e pjs, um atraso na vida dos docentes, e, da democracia.

Há muito tempo questiono as horas em que os docentes do IFSP precisam fazem no campus, pois vim do IFMG, onde ficávamos no campus para lecionar, treinar, fazer reuniões, projetos, orientações, nada além disso. E com isso, com certeza, até passávamos das horas que uma dedicação exclusiva exige, sem, no entanto, ter a vida cronometrada como um operário.
No Jif conversei com um colega do IF de Muzambinho e ele falou que lá não existe PJs ou ATVs, pontos, aliás, ele disse que todos assinam a folha em frente das aulas apenas no final do mês, mas que todos trabalham muito.
Então, comecei a reparar, só nas férias de meio de ano perdi muitas horas atrás de alunos e papéis para levá-los ao Jif, mais horas ainda planejando as aulas do terceiro bimestre. Nos primeiros estou trabalhando ginástica geral, nos segundos dança e para isso, entre centenas de CDs que possuo precisei ouvir vários por horas para selecionar músicas. Contabilizando a seleção, o ouvir, o escolher, o gravar, devo ter gasto mais de 30 horas, em 10 dias. Fora os textos e os filmes que passaria nestas e em outras turmas. Nesta segunda descubro que um fio do meu celular não liga no amplificador, na terça e na quarta estou nos horários livres por conta de correr atrás de lojas e oficinas para resolver este caso. Nas aulas usei pen drive, mas com ele perco tempo achando as músicas. O toca cd normal já usei e gastei muitas pilhas, pois nas quadras emprestadas que trabalho não tenho tomadas.
Os textos eu seleciono, monto, faço de re-leitura em vários livros que estão na minha casa, vou até a copiadora, gasto do meu dinheiro. Tudo isso, faço com relativa tranqüilidade porque faço um curso de pedagogia à distância e as PJs se transformaram em PJE, senão como faria tudo isso presa num campus?
Olho para todo esporte, espaço, investimento e alegrias dos colegas de outros IFs do Brasil e tenho cada vez mais certeza de que as ATvs e PJs estão erradas, um professor não é um secretário escolar, onde o problema para resolver está na escola. O professor precisa de seus livros, CDs, jornais, filmes, caminhadas até lojas, oficinas, etc, para preparar aulas, e, estas fazerem alguma diferença na vida dos estudantes.
Está errado, equipe de liderança paulista, que ainda não percebeu isso: que o professor não é um burocrata fabril. Educador precisa dos espaços fora do campus para enriquecer suas aulas. Que o CCH se mantenha, para que o docente possa atender ao aluno uma hora, fora da turma, eu concordo, ademais é burocracia desnecessária que os outros lugares do Brasil não fazem, e, no entanto, tudo funciona, segundo meus colegas de outros Ifs já relataram. Outros Ifs onde também não passam ponto, onde só assinam no final do mês o espaço onde deram aulas, porém, fazem projetos, orientam, treinam…
Educador se enriquece em outros espaços, lê seus livros, ouve seus CDs, vai até um museu que talvez possa levar seus alunos, até uma feira de livro, ou, uma peça teatral, não no campus onde diversas vezes nem uma mesa encontramos na sala dos professores (realidade do campus São João quartas a tarde). IFSP, está na hora de acordar, ser democrático, de fato, para isso: menos burocrático.

Porfa. Ms. Camila Tenório Cunha, 13/08/2014

P.S.: Escrevi isso na manhã do dia 13/08, não escrevia com frieza algo assim depois de saber da morte de pessoas na tragédia de Santos (noite do dia 13/08). 

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “IFSP: Atvs e pjs, um atraso na vida dos docentes, e, da democracia.

  1. Cara colega de IF Camila.
    Sou professor de Educação Física no IFG (Instituto Federal de Goiás) e por aqui nossa realidade está um pouco melhor. Não somos obrigados a cumprir as 40 hs no campus. Contudo há um movimento e muito conversa de corredor dizendo que há planos de que cumpramos 40 hs no campus por aqui.
    Concordo com sua análise de que fazemos muitas atividades que não podem ser realizadas no campus. Como você mesma disse, muitos não apresentam estrutura física para poder ter o professor 40 hs, e mesmo que tivessem não seria justificado ter o horário fechado. Aqui no IFG, é feito controle de ponto das aulas dadas e não das 40 hs.
    Contudo, vemos que muitos professores “avacalham” e muitas vezes nem fazem o mínimo que é dar suas aulas. Mas, não podemos pagar o preço por meia dúzia que roubam o Estado não cumprindo suas obrigações.
    Continue firme na luta.
    Abraço
    Fernando Henrique

    • profacamilatc

      Concordo, acho que os poucos docentes que não cumprem o dever não podem ditar as regras de todos… Devem ser punidos sim, como em qualquer emprego, perder pontuação, não progredir, sei lá… Mas nos tratar como burocratas não está certo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s