Educação Física, qualidade de vida e cidadania:

       A Educação Física é uma disciplina muito importante para auxiliar na construção de um cidadão crítico, participativo e pró ativo, já que além de trabalhar com a linguagem da cultura corporal, ela permite debates e discussões paralelas, como a da qualidade de vida.

        Nos parâmetros curriculares nacionais podemos encontrar um dos objetivos da disciplina Educação Física:

      “A concepção de cultura corporal amplia a contribuição da Educação Física escolar para o pleno exercício da cidadania, na medida em que, tomando seus conteúdos e as capacidades que se propõe a desenvolver como produtos socioculturais, afirma como direito de todos o acesso a eles. Além disso adota uma perspectiva metodológica de ensino e aprendizagem que busca o desenvolvimento da autonomia, a cooperação, a participação social e a afirmação de valores e princípios democráticos (grifo meu). O trabalho de Educação Física abre espaço para que se aprofundem discussões importantes sobre aspectos éticos e sociais, alguns dos quais merecem destaque.”

      Deste modo, não basta apenas jogar uma bola de futsal na quadra, é preciso  oferecer uma ampla gama de vivências da cultura corporal, reflexões sobre estas, re-construções sobre assuntos diversos ligados ao corpo, bem como qualidade de vida.

       No assunto “qualidade de vida”,  utilizo com os terceiros anos de ensino médio   o filme “SOS Saúde”, do Michael Moore, trazendo á tona, principalmente, os momentos em que o cineasta compara os índices de doenças de países como a França e a Inglaterra com a de seu país,  EUA. O cineasta demonstra como  a vida do cidadão americano é afetada por uma política corrupta, vendida para empresários no congresso, principalmente empresários farmacêuticos e dos planos de saúde… Deste modo, o cidadão americano precisa trabalhar muito para pagar  convênio médicos (sem garantia de tratamento), remédios para dormir, entrando num círculo vicioso em que sua qualidade de vida fica totalmente comprometida.

        Dentro deste filme podemos perceber que ser  cidadão implica participar de uma sociedade democrática, em que os movimentos  populares, os conselhos municipais, a fiscalização de políticos, faz parte, na verdade,  da garantia da qualidade de vida. Assim sendo, é preciso que os alunos percebam que dependendo do modo como deixamos correr a política – pensando que ela se faz apenas no momento do voto – abrimos  mão da luta real por qualidade de vida.

          Um cidadão com dor, doente, exausto de tanto trabalhar para pagar convênios, dívidas, não consegue participar dos movimentos sociais, das lutas coletivas. Ao mesmo tempo, participar e fiscalizar a política é garantir que seus direitos básicos – como saúde-educação gratuita e pública – permaneçam, garantindo assim um pouco mais de qualidade de vida.

            Portanto,  trabalhar com a disciplina Educação Física não pode jamais ser apenas um momento de lazer, lúdico, pois sempre será um momento de construção de um cidadão participativo, ativo e feliz. Um cidadão  que compreenda como é importante ter esperança, lutar, mesmo que uma onda de pessimismo, descrença, esteja se construindo ao nosso redor.

        Professora, mestre em educação, Camila Tenório Cunha

       03/08/2015

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s