Não são os dois minutos de espera que incomoda, mas sim o desrespeito.

   Hoje fui jogar na mega e fui numa lotérica na Saldanha Marinho aqui de São João, sempre tento não ir nela porque já me aborreci ali outras vezes, mas estava com pressa, era caminho…

    Logo que entramos tem um caixa escrito “Este caixa somente para jogos”, olhei e vi uma fila imensa com as pessoas com contas para outros caixas…

     Fiquei ali esperando, mesmo sem atendente porque pudesse ser que ela tivesse ido abo banheiro, sei lá… Esperei um pouco porque na outra fila todos estavam com contas.

      Então, entrou um homem e ficou num outro caixa sem fila, e depois outro… Fui até ali espiar e estava escrito só jogo também, então fiquei atrás do segundo que chegou. Sabia que chegara primeiro, mas estava primeiro em outro caixa, naquele não.

      Então, a moça deste caixa resolveu ir para  a caixa que eu estava.

    E eu falei: “Ah, mas ali era onde eu estava o tempo inteiro, antes!”

      Ocorreu que ela e os dois homens disseram: “Ei, quer dar uma de esperta! Você chegou depois”.

    Eu disse: “Não, naquele caixa eu estava primeiro, esperando aparecer alguém, como todos vieram para cá eu vim atrás, mas ali estava primeiro”.

    “Deixa de querer ser esperta”.

      A moça falou para mim: “Você não vou atender, vou atendê-los primeiro”.

     Um senhor da fila de contas balançava a cabeça negativamente, percebi que ele tinha visto tudo. “Senhor, não é que eu estava primeiro?

        Ele balançou a cabeça afirmativamente.

        Eu disse: “Viu, aquele senhor viu que eu estava primeiro”.

        “Deixa de querer ser espertinha…”Continuou o segundo homem, só fazia falar isso  não quis nem olhar para o senhor que viu tudo.

         – Mas para quê aquele senhor ali iria mentir?, perguntei quase chorando. Quando ocorre algo injusto vem esta boca de palhaço para baixo estúpida e a vontade de chorar.

         Detesto minha boca involuntária de palhaço triste.

     Quando chegou a minha vez e moça disse: ‘Viu? É (sic) dois minutos.”

     Respondi: “Não é esta a questão, se são dois minutos ou não, a questão é de RESPEITO”.

      Fui desrespeitada pela segunda vez ali.

      Na cidade machista-racista  de São João da Boa Vista já perdi a conta!

      Fico sempre triste aqui, como com a maluco que soltava morteiro na minha cachorra cada vez que ela latia, logo que cheguei em São João.

 Teve também aquela vez que o dono da locadora da Mantiqueira ficou imitando minha voz.

       Verdade, ela parece infantil, mas faço o milagre de produzir som porque no otorrino que fui ele me mostrou minha corda vocal – mais fina que uma linha – se mexendo quase nada! Mostrou como  produzo som a musculatura em torno da corda. O otorrino ficou bobo com isso me mostrando a filmagem daquele exame chato.

       Quando fui comprar a casa que moro agora não comprei na imobiliária José Leandro porque estava “sem marido”. Isso, pasmem, pasmem que também quase tinha achado que era brincadeira na hora, até que o corretor se levantou e não atendeu.

       Cansada de ser desrespeitada e humilhada, quero muito me mudar.

 Camila Tenório Cunha

07/03/2016

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Não são os dois minutos de espera que incomoda, mas sim o desrespeito.

  1. Esse mundo está parecendo um poço… mas não consigo encontrar o fundo… Triste tudo isso, Camila… Triste…
    Força sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s