Dona Marisa e Lula: amor que a turma do ódio burguesa não consegue entender.

Quem tem relacionamentos promíscuos, está com uma pessoa e engana outra para se aproveitar de outra naquele momento; quem tem amantes; quem se casa com alguém que é mais nova que a filha, como o Temer;  nunca entenderá um relacionamento de AMOR real, no cotidiano, na dor, na cumplicidade de Lula e Dona Marisa.

Estas pessoas rasas e superficiais nunca entenderão um relacionamento profundo, por inteiro.

Não entenderão a dor do Lula, a dor de quem entende o quanto um relacionamento assim, de respeito, dia a dia, profundo, tem valor.

Sinto também porque além do ódio que a imprensa construiu contra esta família, está a construção dela, cotidiana, pela banalização das relações.

Valorização do tipo de mulher como a Marcela, em vez da mulher guerreira, digna, trabalhadora.

Valorização do tipo de relacionamento imaturo, vai e volta algumas vezes, como mostram as novelas, de casais adultos que se comportam como adolescentes, em detrimento do compromisso REAL, sério, com respeito, fidelidade.

Desvalorizar a história de Dona Marisa e Lula é desvalorizar os relacionamentos e tipo de ser mulher  que lutamos e acreditamos.

Estou triste não só por eles terem sido vítimas do que há de mais podre na direita, mas por esta direita passar valores de ódio e de desvalorização do relacionamento de respeito, construído no dia a dia juntos. Relacionamentos com maturidade, sem términos e retornos como muitos fazem, mesmo depois dos 50 anos, com uma imaturidade tipicamente pequena burguesa que as novelas valorizam.

Imaturidade de quem não sabe lidar com problemas sem ‘ ficar de mal’, então, pedem “tempo” e depois retornam, sem se importarem muito com as vidas que podem estar seguindo, como mostram bem as novelas, filmes e séries globais.

Este tipo de mulher fútil,  superficial que é valorizado pela imprensa burguesa (e o homem fascista e/ou pequeno burguês).

Não a mulher guerreira, que luta, que fica junto nos piores momentos e fazem estes momentos ficarem melhores, com ternura. Esta mulher a imprensa burguesa não valoriza. Por isso tenho visto casais pequenos burgueses que cada um vive na sua casa, ou, que ao primeiro problema terminam, depois voltam e na verdade nunca constroem nada profundo.

Brincam de relacionamentos.

Estes do ódio, das superficialidades, nunca entenderão que amor, que  relacionamento, é construído.

Estes nunca entenderão o amor Lula-Marisa, nunca entenderão a dor do Lula e a dor de todas as mulheres, que lutam e lutaram, como Dona Marisa, quando ela parte. O vazio que fica em nossos corações, a tristeza ao vermos ódios que não compreendem o amor.

Camila Tenório Cunha, 2 de fevereiro de 2017.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Dona Marisa e Lula: amor que a turma do ódio burguesa não consegue entender.

  1. NILTON N COMETTI

    É isso Camila. Busquemos mais amor no exemplo Marisa-Lula. Parabéns pela reflexão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s